Ciência e Tecnologia

Ciência e Tecnologia

Carne cultivada, produtos feitos de plantas e obtidos por fermentação oferecem excelentes oportunidades de pesquisa com inúmeros impactos positivos para o clima e a saúde global. Como uma organização sem fins lucrativos, o GFI se dedica ao avanço da pesquisa de acesso aberto em proteínas alternativas e à criação de um ecossistema de pesquisa e formação em torno desses campos revolucionários.

Porque investimos em Ciência e Tecnologia?

Identificar lacunas de conhecimento fundamentais e articular soluções tecnológicas requer uma compreensão profunda da ciência em proteínas alternativas e em campos relacionados. Análises rigorosas do setor, como avaliações do ciclo de vida e análises técnicas e econômicas, também fornecem percepções críticas para identificar as alavancas mais importantes para melhorar o sabor, a textura, o preço e a sustentabilidade de produtos proteicos alternativos.

Nosso trabalho fornece uma base rigorosa das descobertas científicas fundamentais para o avanço das proteínas alternativas. Analisamos a indústria para identificar lacunas prioritárias de conhecimento e direcionar financiamento para os projetos de pesquisa de maior impacto. Cultivamos, ainda, uma comunidade engajada de cientistas para criar colaborações e aumentar o fluxo de novos talentos. Queremos superar os desafios técnicos por meio da pesquisa de acesso aberto e acelerar o progresso em toda a indústria de proteínas alternativas.

Identificar lacunas de conhecimento fundamentais e articular soluções tecnológicas requer uma compreensão profunda da ciência em proteínas alternativas e em campos relacionados. Análises rigorosas do setor, como avaliações do ciclo de vida e análises técnico-econômicas, também fornecem percepções críticas para identificar as alavancas mais importantes para melhorar o sabor, a textura, o preço e a sustentabilidade de produtos proteicos alternativos.

Em um campo emergente como as proteínas alternativas, o financiamento de pesquisa tem um efeito crucial. Nosso Programa de Incentivo à Pesquisa distribui recursos para projetos relevantes, apoiando nossos pesquisadores para garantir a viabilidade comercial de seus trabalhos.

O GFI criou o Diretório de Pesquisa Colaborativa para conectar pesquisadores da área de proteínas alternativas do mundo todo. A plataforma permite que os cientistas compartilhem informações sobre suas áreas de pesquisa, publiquem oportunidades de colaboração para outros cientistas, laboratórios e empresas em seus projetos. Da mesma forma, podem ser encontrados por outros pesquisadores ou empresas interessadas em projetos de pesquisas. Cria-se assim uma rede global de networking científico focada em tecnologias para desenvolvimento e melhoramento da produção de proteínas alternativas. A iniciativa conta tanto com pesquisadores já ativos no setor de proteínas alternativas quanto com interessados em atuar nessa área.

Aprofundamentos Técnicos

Saiba mais sobre a ciência que torna as proteínas vegetais possíveis. Descubra recursos e projetos de pesquisa sobre os mais recentes desenvolvimentos tecnológicos e questões científicas.

Aprenda sobre a ciência da carne cultivada e os desafios que devem ser enfrentados para a produção comercial.

Aprenda sobre o papel emergente da fermentação microbiana na construção da próxima geração de produtos proteicos alternativos.

Programa Biomas

A diversidade dos biomas brasileiros pode colocar o país no centro da produção sustentável de matérias-primas do setor de proteínas alternativas. Com o crescimento do mercado interno de produtos feitos de plantas, 13 pesquisadores já desenvolvem estudos sobre o uso de espécies nativas que podem ser base para análogos de produtos de origem animal. A expectativa é que espécies da Amazônia e do Cerrado – Babaçu, Castanha do Brasil, Cupuaçu, Guaraná, Baru e Macaúba – sejam fonte de proteínas, pigmentos e fibras que integrem outras matrizes já usadas na indústria.

As espécies foram selecionadas a partir de seu potencial econômico e técnico. Mais do que apenas encontrar alternativas às fontes proteicas, o programa selecionou investigações que pensam todo o ciclo econômico da produção do ingrediente, passando pelo uso de resíduos normalmente descartados, aplicação de tecnologias limpas, e fomento às comunidades locais.

Nesta edição do programa, mais de 80 propostas de pesquisa foram recebidas de cerca de 34 instituições de 14 estados brasileiros. Os resultados das investigações que duram um ano serão divulgados abertamente a fim de tornar possível a aplicação e escalonamento das tecnologias desenvolvidas.

  • Açaí
  • Babaçu
  • Baru
  • Cacau
  • Castanha do Brasil
  • Cupuaçu
  • Guaraná
  • Macaúba
  • Pequi
  • Tucumã
CURSO ONLINE

A Ciência das Proteínas Alternativas

O curso online de acesso aberto do GFI explora a ciência de proteínas alternativas. Aulas de ritmo individual, você aprenderá sobre os processos biológicos e químicos usados para produzir carne vegetal, obtida por fermentação e cultivada, bem como os fatores ambientais e econômicos por trás desses setores de mercado.

Conheça nossos recursos científicos

    Estudo Nutricional: análise comparativa entre produtos cárneos de origem animal e seus análogos vegetais

    Estudo Nutricional: análise comparativa entre produtos cárneos de origem animal e seus análogos vegetais

    Oportunidades e Desafios na Produção de Produtos Feitos de Plantas Análogos aos Produtos Animais

    Oportunidades e Desafios na Produção de Produtos Feitos de Plantas Análogos aos Produtos Animais

    Glossário de Carne Cultivada

    Glossário de Carne Cultivada

    Carne Cultivada: Perspectivas e Oportunidades para o Brasil

    Carne Cultivada: Perspectivas e Oportunidades para o Brasil

Junte-se à nossa comunidade de doadores

Todo o trabalho desenvolvido pelo GFI é gratuito, por isso as doações da nossa comunidade de apoiadores são fundamentais.