As Vantagens da Cell-based Meat em Relação à Carne Convencional são Muitas e Crescerão Ainda Mais ao Longo do Tempo

Recentemente, um estudo da revista especializada em sistemas alimentares sustentáveis, a Frontiers in Sustainable Food Systems, concluiu que, no pior cenário hipotético, a produção de cell-based meat poderia causar, daqui a mil anos, mais mudanças climáticas do que a produção de carne atual.

Mas não foi desta forma que foi relatado. Uma manchete típica dizia: “A carne cultivada em laboratório pode piorar a mudança climática”. Está bem, isso considerando o pior cenário e daqui a mil anos.

 

De fato, o documento deixa claro que, em cada cenário considerado, incluindo o pior caso absoluto, a cell-based meat é muito melhor para o nosso clima do que os “melhores” sistemas convencionais de produção de carne, pelo menos pelos próximos 100 anos, momento em que a humanidade será mais vulnerável aos impactos da mudança climática.


Mas na verdade a cell-based meat é muito melhor do que isso: se você observar a figura 1 do estudo é possível ver que três dos quatro cenários mostram que a cell-based meat ultrapassa todos os sistemas de carne convencionais por pelo menos 800 anos.

 

O único cenário em que a carne convencional supera a cell-based meat em impactos climáticos é baseado na pior Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) da cell-based meat, e mesmo assim ela é considerada melhor por 100 a 400 anos, dependendo de qual dos sistemas convencionais for escolhido.

 

Então, novamente, em todos os cenários, a cell-based meat é melhor para o meio ambiente por pelo menos 100 anos quando se compara o melhor sistema convencional de carne ao pior cenário da produção de cell-based meat.

 

Mas, mesmo assim, é importante notar que a observação se baseia em cenários de produção de cell-based meat que não são representativos da produção em escala. Por exemplo, as ACVs de cell-based meat existentes (usadas neste artigo) avaliam o consumo de energia direta no pior caso, mas não investigam como o novo espaço de terra disponível poderia ser utilizado.

 

A produção de cell-based meat usará uma pequena fração da terra necessária para o gado, isto é, aproximadamente 1/100 de terra, e a terra restante poderia ser usada para produção de energia limpa e sequestro de carbono. Ao disponibilizar tanta terra, a produção de cell-based meat deve, na verdade, ser um resultado positivo e significativo para as mudanças climáticas.

 

Outra vantagem para a produção de cell-based meat em relação à carne convencional é a capacidade de unir o local das instalações de produção de cell-based meat com fontes de energia neutras em carbono. Isso já está sendo feito por empresas de carnes plant-based. Por exemplo, os fabricantes da Tofurky têm suas instalações de produção no vale do Rio Columbia, de modo que toda a sua energia seja de hidroeletricidade renovável.

 

E empresas como a Black & Veatch, que possuem décadas de experiência em construção de plantas de manufatura sustentáveis de grande escala, já estão fazendo um trabalho inovador com empresas de cell-based meat, mesmo antes da produção começar a crescer.

 

Os impactos das mudanças climáticas são crucialmente importantes, mas mesmo que os benefícios climáticos não fossem tão significativos, a produção de cell-based meat ainda seria um imperativo moral para a humanidade por muitas outras razões.

 

A produção convencional de carne é, por exemplo, um dos principais fatores de resistência aos antibióticos. A grande maioria dos antibióticos produzidos hoje é usada para produção de gado. Esse uso generalizado de doses subclínicas de antibióticos pela agropecuária industrial está levando ao aumento de superbactérias resistentes aos antibióticos, e as infecções causadas por elas já matam entre 500.000 e 700.000 pessoas por ano. Estima-se que até 2050 essas superbactérias possam custar ao mundo US$ 100 trilhões e levar a morte 10 milhões de pessoas anualmente.


Um relatório do governo do Reino Unido descobriu que a ameaça à raça humana causada pela resistência aos antibióticos é “mais certa” do que a ameaça da mudança climática. Dame Sally Davies, Diretora Médica da Inglaterra, advertiu repetidas vezes que o mundo enfrenta um “apocalipse” de antibióticos, no qual doenças comuns se tornam intratáveis, e operações comuns podem levar ao risco de morte. A produção de cell-based meat não requer antibióticos, protegendo assim a humanidade dessa ameaça existencial.

 

Além disso, o uso excessivo de terra pela produção de carne convencional está levando à destruição da floresta amazônica e acelerando a extinção de espécies, e os requisitos de fertilizantes e escoamento agrícola são alguns dos principais contribuintes para a acidificação dos oceanos e das grandes zonas mortas que estão destruindo os ecossistemas aquáticos. Tudo isso será mitigado pelos métodos de produção de cell-based meat.

 

É claro que à medida que a biotecnologia e a energia limpa avançam, a produção de cell-based meat se tornará cada vez mais eficiente e, portanto, abordará todos esses problemas urgentes. Isto é em parte a razão pela qual o GFI está financiando mais pesquisas sobre clean meat, para acelerar as melhorias na eficiência.

 

Por outro lado, a produção de carne convencional não poderá ser muito mais eficiente e continuará causando danos diversos e generalizados. É por isso que cada análise objetiva tem alertado sobre os danos da produção atual de carne.

 

Toda empresa em busca de cell-based meat está interessada em tornar o mundo um lugar melhor. Elas estão motivadas a diminuir a mudança climática, melhorar a segurança alimentar, a sustentabilidade, assegurar a saúde humana e criar um meio mais humano de alimentar a sociedade.


Estes também são os objetivos do GFI, e é por isso que estamos procurando identificar áreas que potencialmente precisem de atenção e pesquisa adicionais. Como parte disso, o GFI está realizando uma ACV (Avaliação do Ciclo de Vida) robusta e inovadora em 2019. Sabemos que é obviamente muito mais fácil identificar e abordar possíveis problemas à medida que uma indústria é iniciada, em vez de tentar procurar soluções de problemas de indústrias já estabelecidas.


Por causa da dedicação de todos para um mundo melhor, a cell-based meat se tornará cada vez mais eficiente e mais sustentável. Isso ocorrerá ao longo de décadas, e não de séculos.

 

Escrito por Bruce Friedrich. Traduzido por Fernanda Onça.