Israel tem o primeiro chefe de Estado a experimentar carne cultivada

O feito inédito aconteceu em visita oficial do político à Aleph Farms, empresa israelense de carne cultivada. Provar pela primeira vez um bife de carne de verdade, cultivado inteiramente fora do animal, coloca Israel à frente do movimento de desenvolvimento de proteína animal em ambiente fabril.

A empresa sediada em Rehoot é pioneira no desenvolvimento em escala da tecnologia em que uma cultura de células é retirada do gado para fazer com que se desenvolvam sob condições controladas. O processo torna tanto o abate de animais quanto o uso de antibióticos desnecessário, além de usar muito menos recursos naturais como terra e água. Israel vem apostando na tecnologia para prover uma fonte de alimentação segura e estável para sua população e além de ser uma fonte de crescimento econômico especialmente promissora em um momento em que o mundo todo busca por soluções mais sustentáveis para a cadeia de produção de alimentos.

A visita, que foi acompanhada pelo diretor do The Good Food Israel Nir Goldstein, passou pelas instalações da fábrica para que o primeiro ministro conhecesse o processo de perto, antes de terminar na degustação da carne cultivada. “É deliciosa e livre de culpa, consigo sentir a diferença”, comentou Benjamin Netanyahu. O primeiro-ministro disse ainda que Israel está a caminho de se tornar uma grande força na liderança dos setores de proteínas alternativas. 

O país já é visto como terreno fértil para Food Techs em decorrência das inovações na área que nasceram no país, através da articulação da indústria, academia e governo. A própria Aleph Farms nasceu de uma iniciativa conjunta entre duas incubadoras da área de alimentos, The Kitchen Hub e Fresh Start, o Instituto de Tecnologia de Israel e apoio da Autoridade Israelense de Inovação. Resultados como esse comprovam que diversas áreas da cadeia produtiva trabalhando juntas conseguem avançar o setor de alimentos de forma consistente e transformadora, o que pode ser um bom indicativo do que o mercado brasileiro pode se tornar.

Na semana passada, Singapura se tornou o primeiro país a estabelecer um marco regulatório específico para carne cultivada, que trará carne cultivada para o mercado. Isso transformará o movimento da carne cultivada de uma visão de longo prazo em uma solução prática concreta que aborda alguns dos desafios mais urgentes do mundo hoje. Aleph Farms, SuperMeat, MeatTech and Future Meat Technologies são algumas das líderes mundiais em carne cultivada, todas estão sediadas em Israel. 

O Covid-19 e a emergência climática têm servido para apontar como os sistemas alimentares são vulneráveis frente a crises e rupturas, destacando a urgência de estabelecer cadeias de produção de alimentos mais sustentáveis e resilientes. O processo de cultivar carne em ambientes controlados é um importante passo nessa direção, além do potencial para gerar milhares de novos empregos e aquecer a economia. Segundo o Goldstein, “com o apoio do governo, é possível gerar 11.000 novos postos de trabalho e gerar bilhões de retorno para a economia através de exportações tanto de matérias-primas quanto de tecnologias de proteínas alternativas.”

Sobre a Aleph Farms

A empresa de alimentos Aleph Farms está abrindo um novo caminho como pioneira do ecossistema global de alimentos sustentáveis, trabalhando para cultivar bifes a partir de células não geneticamente modificadas, isoladas de uma vaca, usando uma fração dos recursos necessários para criar um animal para carne e sem antibióticos e que são deliciosos. 

Em maio de 2019, a empresa levantou US $12 milhões em uma rodada de investimentos da Série A, com participação de parceiros estratégicos e grupos de venture capital. A Aleph Farms foi co-fundada pelo The Kitchen Hub do Strauss Group e o Professor Shulamit Levenberg do Technion – Instituto de Tecnologia de Israel. A empresa é apoiada por alguns dos produtores de alimentos mais inovadores do mundo, como Cargill, Migros e o Grupo Strauss.