GFI anuncia Programa para financiar projetos em proteínas alternativas

Projetos pioneiros capazes de elucidar os principais desafios tecnológicos da indústria de proteínas alternativas contarão com financiamento do The Good Food Institute (GFI), no valor US$ 250 mil para cada pesquisa. Motivados em capacitar estudos de alta qualidade que construirão a base científica das indústrias de carnes cultivadas, vegetais e derivados de fermentação no futuro, o GFI acaba de lançar o edital do Programa Anual de Incentivo à Pesquisa.

Nesta edição, o instituto selecionará propostas que desenvolvam dados, materiais e processos para viabilizar a produção de carnes inteiras e frutos do mar feitos de proteínas alternativas. “Projetamos conduzir pesquisas que estudem a criação de cortes de carne inteiros e íntegros como carne, frango, peixe e frutos do mar. Buscamos avanços científicos que possibilitem a produção e comercialização desses produtos para formar uma verdadeira nova geração de proteínas de carne e frutos do mar e, assim, construir um sistema alimentar sustentável, saudável e justo”, explica a Diretora de Ciência e Tecnologia do GFI, Dra. Katherine de Matos.

O valor máximo do incentivo para cada projeto será de US$ 250 mil, cerca de R$ 1,3 milhão, e todo o aporte será destinado aos projetos que se concentrem no desenvolvimento de novos ingredientes, métodos, ferramentas e tecnologias e permitam a produção de produtos proteicos alternativos inteiros.

“A indústria de proteína alternativa já realizou avanços científicos significativos para produção de produtos de carne moída a partir de proteínas cultivadas, vegetais e derivadas de fermentação. Já é possível encontrar nas gôndolas dos mercados hambúrgueres, linguiças, nuggets e almôndegas. Queremos aproveitar esse ímpeto e nos concentrar agora nos estudos e criações de cortes de carnes inteiros”, complementa Dra. Katherine. Os projetos financiados deverão realizar aplicações primárias em carnes e frutos do mar que assemelham-se à carne de origem animal em sabor, textura e aroma e se destinam ao consumo humano.

O Brasil ocupa atualmente posição de destaque no cenário global de pesquisa de proteínas alternativas e a nova edição do Programa de Bolsas do GFI visa endereçar alguns gargalos científicos e tecnológicos com estudos precisos e inovadores sobre criação e produção de peças de carne inteiras. “A nossa expectativa é muito positiva. Na edição passada, o Brasil teve um desempenho muito relevante em números de propostas submetidas ocupando a segunda posição”, conta Katherine.

O edital está aberto a empresas brasileiras, instituições científicas tecnológicas, aos pesquisadores que fazem parte do Diretório de Pesquisa Colaborativa (DPC) do GFI e a todos os demais cientistas do país. O Programa está na primeira fase de seleção e os interessados devem enviar sua proposta em formato PDF até o dia 10 de março de 2021 para este formulário. Os projetos têm prazo de execução de até 24 meses. Para acessar o edital completo e conferir a regulamentação detalhada, clique aqui.

Workshop

No dia 4/2, das 14h às 15h (BRT), os interessados em participar do edital terão a oportunidade de entender melhor o Programa de Incentivo à Pesquisa GFI e tirar suas dúvidas sobre o edital com a equipe de Ciência e Tecnologia. Faça a sua inscrição aqui.

Sobre o Programa

Desde seu início em 2018, o programa de bolsas de pesquisa do GFI concedeu mais de US$ 7 milhões a projetos e subsidiou 37 pesquisadores em todo o mundo. Financiadas inteiramente por um seleto grupo de doadores e apoiadores filantrópicos, as pesquisas abrangem o campo de proteínas alternativas, desde o melhoramento de safras e formulação de produtos para carne vegetal ao desenvolvimento de linha celular e aumento de escala de bioprocessos para carne cultivada.