COP27 terá Pavilhão exclusivo sobre Sistemas Alimentares

GFI é parceiro da iniciativa e vai liderar discussões sobre proteínas alternativas da  27ª Conferência das Partes, principal evento do Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climáticas (UNFCCC) 

Faltando menos de 50 dias para o início da COP27, uma coalizão de organizações focadas em ações pela produção e consumo de alimentos mais sustentáveis, anunciou seus planos para sediar o primeiro Pavilhão de Sistemas Alimentares na COP27.

O Pavilhão de Sistemas Alimentares reúne mais de 15 líderes internacionais no setor de alimentos, abrangendo os setores público, privado e sem fins lucrativos, de agricultores e jovens a formuladores de políticas e cientistas. Essa diversidade de conhecimentos e perspectivas o destaca entre outras coalizões, com co-anfitriões e parceiros comprometidos a trabalhar de forma colaborativa para chegar a compromissos, apresentar soluções e superar barreiras para alcançarmos as metas estabelecidas pelo Acordo de Paris.

As organizações participantes incluem os co-anfitriões Clim-Eat, Coalizão de Ação para a Saúde do Solo (CA4SH), EIT Alimentos, Fundo de Defesa Ambiental, FOLU, The Good Food Institute, Infarm, SNV e Yara International; parceiros de paineis Aleph Farms, Food Tank, Just Rural Transition, One Acre Fund e Rabobank; e parceiros apoiadores World Farmers’ Organization, World Food Forum, YPARD, IAAS World e YOUNGO.

Para Gustavo Guadagnini, presidente do GFI Brasil, a COP27 representará um ponto de virada crítico para os sistemas alimentares. Com a agricultura e os sistemas alimentares contribuindo com mais de um terço das emissões de gases de efeito estufa, há muitos desafios complexos a serem superados, mas também enormes oportunidades. Transformar os sistemas alimentares globalmente pode gerar US$ 4,5 trilhões anualmente em novas atividades econômicas, além de criar um mundo com emissões neutras de carbono e positivo para a natureza e, ao mesmo tempo,  garantir justiça socioambiental e a segurança alimentar e nutricional.”.

Na COP26, em Glasgow, formuladores de políticas deram os primeiros passos para reconhecer o papel crítico dos alimentos e da agricultura na redução das emissões de gases de efeito estufa. Este ano, os co-anfitriões do Food Systems Pavilion querem avançar essa agenda significativamente e colocando os a agricultura e a produção de alimentos no centro das discussões.

A Dra. Agnes Kalibata, Presidente da Aliança para uma Revolução Verde na África (AGRA), Enviada Especial do Secretário-Geral da ONU para a Cúpula de Sistemas Alimentares de 2021 e Embaixadora da FOLU, disse que é preciso garantir que os alimentos dominem a agenda da COP27. “Tem sido a peça que faltava nas negociações climáticas por muito tempo, e a África está fazendo grandes apostas em uma COP no continente. Esperamos que o mundo reconheça que nossa capacidade de produzir alimentos está sendo erodida rapidamente, nossa capacidade de adaptação é a mais fraca e como os alimentos são produzidos em outras partes do mundo temos problemas urgentes que devemos resolver.”.

Dra. Agnes ainda complementou que sem ações imediatas, mais 100 milhões de pessoas na África podem ser levadas à pobreza extrema nas próximas oito estações – são mais de 10 milhões de pessoas por ano entre agora e 2030. 

O Food Systems Pavilion se concentrará em ações, estratégias e soluções práticas que abrangem toda a cadeia de valor de alimentos que oferecem o potencial de acelerar a transição para sistemas alimentares mais saudáveis, sustentáveis ​​e justos para todos.

Para saber mais, visite FoodSystemsPavilion.com ou busque pela hashtag #ActionOnFood nas redes sociais.

Leia também

GFI Brasil na COP27: confira a programação do Pavilhão dos Sistemas Alimentares

GFI Brasil na COP27: confira a programação do Pavilhão dos Sistemas Alimentares

InovAmazônia, projeto de incentivo à pesquisa do GFI Brasil, recebe propostas até 12/12/22

InovAmazônia, projeto de incentivo à pesquisa do GFI Brasil, recebe propostas até 12/12/22