Startup de ingredientes ‘100% animal-free’ anuncia investimento em seu complexo de Cotia/SP

Nova fábrica contará com tecnologia inédita na América do Sul para atender ao mercado de Carnes Vegetais ‘Meatless Meat’

Empresa criada há 11 anos em Campinas/SP e hoje com operações em Vinhedo/SP, Cotia/SP e em Navegantes/SC informa que está investindo na criação de nova fábrica em Cotia dedicada ao fornecimento de soluções de alta tecnologia e “clean label” para o mercado de carnes vegetais ‘Meatless Meat’ através de tecnologia inovadora. Novos ingredientes começarão a ser fornecidos ao mercado industrial e ‘food service’ durante o primeiro trimestre de 2020.

Segundo o diretor de estratégia e novos negócios na R & S BLUMOS, Fernando Santana, “trata-se do maior investimento da história da empresa e marcaremos uma nova fase no desenvolvimento do setor no Brasil e na América do Sul”, sem divulgar o valor do investimento no projeto.

Detentora de um portifolio de ingredientes 100% ‘plant based’ e há anos reputada no desenvolvimento de ingredientes e conceitos inovadores parao mercado de alimentação saudável a nova fábrica em Cotia/SP abrigará o que há de mais inovador para texturização de proteínas alternativas em sintonia com as mudanças de perfil dos consumidores, amplamente observada em vários setores e que agora parece ter colocado o tema “alimentação” no centro de suas atenções. A nova linha de ingredientes texturizados ampliará a presença da empresa no segmento que mais cresce atualmente na indústria de alimentos e bebidas, onde ela já conta com o fornecimento de texturizados secos de proteína de ervilha, ligantes naturais, fibras e amidos.

A tecnologia inovadora e limpa escolhida pela empresa é a extrusão úmida de proteínas que permitirá o fornecimento de carne fresca de plantas e criação de texturas e estruturas até então impossíveis, como carnes vegetais que imitam cortes de frango, porco e peixes. Para isso a R & S BLUMOS formou aliança estratégica com o grupo Wenger, líder global em processos de extrusão e criador da tecnologia ‘HMMA’ (High Moisture Meat Analogue).

Segundo Rafael Alvarenga, gerente de aplicações na Wenger, sediada no Estado americano do Kansas, a nova fase de expansão da R & S BLUMOS representa “um marco sem precedente para o avanço da tecnologia ‘HMMA’ no mercado sul-americano. A R & S BLUMOS tem um propósito muito claro na área de ingredientes e soluções ‘clean’ à base de plantas. O processo vem a agregar muito no portifolio e potencial de inovação da empresa para com os seus clientes.”

Parceiro da R & S BLUMOS desde o início das iniciativas da empresa no segmento de ‘Meatless Meat’, o The Good Food Institute também avalia o investimento da empresa como um marco e segundo seu diretor geral no Brasil, Gustavo Guadagnini, “para que a indústria de alimentos possa se transformar e crescer de forma disruptiva é preciso que haja disponibilidade de ingredientes de alta qualidade e processos inovadores. O primeiro passo de uma transformação na cadeia de produção de alimentos é exatamente esse que empresas como a R & S BLUMOS estão fazendo: o investimento em ingredientes mais sofisticados, sustentáveis e saudáveis, que permitem novas aplicações e produtos que antes não seriam possíveis, transformando os hábitos alimentares dos consumidores.”

Além da aliança com o parceiro de tecnologia, os acordos envolvendo ingredientes foram fundamentais para garantir o abastecimento sem rupturas dos sistemas que serão produzidos na unidade de Cotia/SP e para isso a empresa fortaleceu parcerias com produtores reputados de matérias-primas críticas. Uma delas é a empresa belga COSUCRA, ator relevante no fornecimento de ingredientes a base de ervilha e chicória e parceiro histórico da R & S BLUMOS em proteínas isoladas de ervilha, fibras e amidos especiais. Anthony Claeyssens, Gerente de Negócios na empresa reforça que a “COSUCRA valoriza a resiliência e comprometimento da R & S BLUMOS no desenvolvimento de soluções para o mercado de alimentação saudável e consciente e sua capacidade de combinar fortes conexões no mundo industrial tradicional com sua crença e investimentos permanentes junto a marcas e startups emergentes e disruptivas.” Ainda segundo Fernando Santana, através de seu conselho científico e com apoio de centros de pesquisa independentes e universidades, a empresa também está investindo na concentração de outras fontes proteicas vegetais, como leguminosas e cereais, para ampliação da oferta de ingredientes e novos usos e combinações na tecnologia de extrusão úmida.

Leia também

Participe dos Meetups da Trilha de Capacitação e Formação de Rede para Inovação em Proteínas Alternativas do GFI Brasil

Participe dos Meetups da Trilha de Capacitação e Formação de Rede para Inovação em Proteínas Alternativas do GFI Brasil

Nova pesquisa do GFI Brasil aponta os principais comportamentos e perfis do consumidor de alternativas plant-based no Brasil 

Nova pesquisa do GFI Brasil aponta os principais comportamentos e perfis do consumidor de alternativas plant-based no Brasil 

Amplie seu conhecimento sobre proteínas alternativas com as novas aulas do curso do GFI Brasil

Amplie seu conhecimento sobre proteínas alternativas com as novas aulas do curso do GFI Brasil