GFI Brasil defende financiamento para proteínas alternativas na Conferência sobre Mudanças Climáticas em Bonn, na Alemanha

Entre os dias 3 e 13 de Junho, o The Good Food Institute participou da Conferência sobre Mudanças Climáticas em Bonn (SB 60), evento que pauta os principais assuntos que serão foco da COP 29, que acontece no final do ano em Baku, no Azerbaijão. Com foco nas questões científicas e técnicas das negociações climáticas e na implementação de acordos sobre o clima, a SB 60 possibilita que os observadores da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Clima (UNFCCC) – como o The Good Food Institute – participem ativamente das discussões e interajam pessoalmente com delegados de todo o mundo. 

“Assim como no ano passado, participamos da Conferência de Bonn para debater os impactos dos sistemas alimentares no clima, demarcar a importância das proteínas alternativas como estratégia de mitigação e adaptação climática, e defender mais financiamento para que o Sul Global desenvolva as suas próprias ações no tema”, explicou Mariana Bernal, analista de Políticas Públicas do GFI Brasil.

Para isso, o GFI promoveu um evento paralelo em parceria com a Aliança para a Biodiversidade Internacional e CIAT, Proveg International, Coller Foundation (JCF), Humane Society International (HSI) e Changing Markets Foundation (CMF), a fim de apresentar os desafios e as oportunidades na transformação dos sistemas alimentares globais, a partir da diversificação das fontes de proteínas. O tema foi conduzido por especialistas da Humane Society International Brazil (HSI), Changing Markets Foundation (CMF), Boston Consulting Group (BCG) e YOUNGO.

  • Alexander Lotsch (Banco Mundial) apresentou o relatório “Recipe for a Livable Planet” do Banco Mundial, destacando estratégias para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) no setor agropecuário e na cadeia de suprimentos de carne;
  • Thayana Oliveira (Humane Society International Brazil) discutiu políticas implementadas pelo governo brasileiro para apoiar a diversificação inclusiva de proteínas na alimentação escolar em escolas municipais.
  • Glyndys Luciano (YOUNGO) enfatizou o papel crucial dos jovens na transformação dos sistemas alimentares, especialmente no contexto da diversificação de proteínas.
  • Mesa redonda com especialistas do Banco Mundial, FAO, Climate Focus, World Animal Protection (WAP) e Stop Financing Factory Farming destacou as soluções práticas e políticas que podem apoiar o desenvolvimento e a inclusão de novas fontes de proteínas na alimentação.
  • Mariana Bernal (GFI Brasil) destacou em coletiva de imprensa a necessidade urgente de financiamento para pesquisas de acesso aberto, a importância da cooperação entre agências públicas e cooperativas de agricultores e o Programa Biomas, iniciativa do GFI Brasil focada em desenvolver ingredientes e produtos a partir da biodiversidade nacional.

“Pudemos acompanhar as negociações da agricultura e nos informar sobre as propostas de governos e sociedade civil  para que nos mantenhamos dentro da meta do 1.5ºC. Nos eventos que participamos, apresentamos caminhos para a criação de políticas e estratégias de desenvolvimento sustentável, inclusivo e que reduzam o impacto da produção de alimentos sobre o clima”, resume Mariana Bernal.

Outras áreas de progresso em Bonn incluem:

Nova Meta Quantificada Coletiva sobre Financiamento Climático: Simplificação do conteúdo para a Nova Meta Quantificada Coletiva sobre Financiamento Climático. Opções claras e a estrutura substantiva de um projeto de decisão devem ser finalizadas antes da COP29. Também foi realizado um diálogo de especialistas técnicos para garantir que a Nova Meta seja ambiciosa, bem estruturada, relatada de forma transparente e melhore a qualidade do financiamento climático para os países em desenvolvimento.

Indicadores de Adaptação: Partes tomaram medidas para indicadores de adaptação que sejam prospectivos, eficazes e cientificamente sólidos.

Mercado Internacional de Carbono: Progresso foi feito em direção a um mercado de carbono internacional com melhor funcionamento, mas ainda há trabalho a ser feito.

Transparência e Planos de Ação Climática: Partes trabalharam juntas pela transparência e se apoiaram mutuamente no planejamento de planos de ação climática mais fortes.

Progresso na Construção de Resiliência e Adaptação: As Partes concordaram com medidas para o Objetivo Global de Adaptação, que cria metas temáticas que destacam as prioridades globais voltadas para o futuro.

Foram feitos progressos nos indicadores para cada uma dessas metas temáticas, que serão inclusivos, transparentes e cientificamente sólidos. A UNFCCC pede que os países desenvolvam Planos de Adaptação Nacional (NAPs) até o final de 2025 e implementem-nos até 2030.

Progresso Feito nos Mercados Internacionais de Carbono sob o Artigo 6: Foram feitos avanços importantes em aspectos técnicos do Artigo 6, incluindo autorização de créditos de carbono, escopo de atividade, registro internacional de mercado de carbono e muito mais. Um workshop adicional será realizado para aprofundar o trabalho técnico sobre o Artigo 6 antes de novembro.

Aumentando a Transparência: A nova presidência da COP solicitou que as Partes enviem seus Relatórios Bienais de Transparência (BTRs) antes da COP29 em Baku.

Novos kits de ferramentas de relatório do Marco de Transparência Aprimorado serão entregues em breve.

Serão realizados treinamentos sobre as novas ferramentas de relatório antes da COP29.

Aumentando a Ambição nas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs): As Partes devem entregar sua próxima rodada de NDCs no início do próximo ano, alinhadas com o limite de 1,5 °C e cobrindo todos os setores e gases de efeito estufa. Foi lançado o NDC 3.0 Navigator para ajudar as Partes a desenvolver novas NDCs com foco na implementação.

Outros Assuntos e Eventos:

  • Foi iniciada a revisão final da implementação do programa de trabalho aprimorado de Lima e seu Plano de Ação de Gênero.
  • O Fórum sobre Financiamento Sensível ao Gênero de 2024 acontecerá de 2 a 3 de setembro na Tanzânia.
  • O Diálogo sobre o Oceano e a Mudança Climática ocorreu durante dois dias nas Reuniões Climáticas de Junho.
  • O Centro de Empoderamento para a Ação Climática (ACE) sediou um evento para reunir jovens para o desenvolvimento de habilidades e compartilhamento de conhecimento.
  • Os Campeões Climáticos de Alto Nível organizaram uma série de eventos que exploraram como empresas, cidades, regiões, povos indígenas e a sociedade civil estão trabalhando ao lado dos governos para promover ações climáticas ambiciosas antes da COP29.

GFI Brasil na SB60 em Bonn: Promovendo a diversificação de proteínas e o financiamento climático

O GFI foi representado por dois especialistas em políticas durante o evento em Bonn. Na primeira semana, Sam Lawrence, Vice-Presidente de Políticas Públicas do GFI Ásia, trouxe uma visão global para as discussões. Já na segunda semana, Mariana Bernal, Analista de Políticas Públicas do GFI Brasil, assumiu a liderança, focando em questões cruciais para o Sul Global. A participação em Bonn foi marcada por um evento paralelo oficial e uma coletiva de imprensa que destacaram a importância da diversificação de proteínas e do financiamento climático para um futuro alimentar sustentável.

Leia também

Opinião: não é correto afirmar que proteínas vegetais estão associadas a doenças cardiovasculares

Opinião: não é correto afirmar que proteínas vegetais estão associadas a doenças cardiovasculares