Mercado brasileiro de carnes vegetais ultrapassou a marca de R$ 1 bilhão em 2023

Em 2023, o consumo de substitutos vegetais de carnes e frutos do mar atingiu novos patamares no Brasil, com as vendas no varejo alcançando R$1,1 bilhão, um aumento de 38% em relação ao ano anterior. O volume de produtos vendidos (toneladas) também cresceu substancialmente, com um aumento de 22%. Já o mercado de leites vegetais apresentou um crescimento de 9,5%, com vendas totalizando R$673 milhões.¹

Em 2022, os substitutos vegetais para carne e frutos do mar já haviam demonstrado um crescimento significativo de 42%, alcançando R$821 milhões em vendas. Os leites vegetais também cresceram 15%, atingindo R$612 milhões. 

Voltando a 2021, o crescimento foi igualmente promissor, com um aumento de 30% nas vendas desses substitutos comparado a 2020. Nessa época, a Euromonitor já previa que o setor poderia ultrapassar os US$425,3 milhões em vendas até 2026 (aproximadamente 2,2 bilhões de reais na cotação atual) – e os dados mais recentes indicam que estamos no caminho certo para superar essas expectativas.

Para saber mais sobre os mercados globais de carne cultivada e de alimentos vegetais análogos e obtidos por fermentação, acesse os novos relatórios do GFI “State of The Industry Reports 2023”. 

Veja uma prévia das principais análises que você vai encontrar nos relatórios:

  • Proteínas alternativas estão ganhando atenção global – e consenso – como uma solução para os desafios climáticos e de segurança alimentar: o financiamento público global anunciado para proteínas alternativas em 2023 esteve no mesmo patamar dos recordes de 2022 e a COP 28 reconheceu, pela primeira vez, o setor de alimentos como foco estratégico das ações de mitigação e adaptação climática.
  • A ciência está progredindo com constância em direção à transformação da produção de proteínas: os avanços incluíram a redução das emissões dos processos de fermentação, usos inovadores de subprodutos agrícolas em carnes vegetais e reduções no custo dos meios de cultura celular para carne cultivada.
  • Instalações estão criando empregos de verdade: novas instalações de proteínas alternativas, reformadas, adaptadas e ampliadas, aumentaram os volumes de produtos, criaram empregos e agregaram valor às comunidades – apesar de ainda existirem desafios técnicos.
  • O crescimento das proteínas alternativas se deve, em parte, a novas alianças, parcerias e colaborações: associações industriais e parcerias público-privadas estão em ascensão, impulsionando todo o ecossistema.
  • Os consumidores querem proteínas vegetais deliciosas que não sejam caras, e as grandes empresas estão entendendo a mensagem: o interesse global crescente por alimentos mais sustentáveis, especialmente entre o mercado emergente da Geração Z, está impactando a forma como as empresas e varejistas de alimentos enxergam o futuro.

Acesse os relatórios na íntegra para se aprofundar nas análises e estar atualizado sobre tudo que vem acontecendo no setor globalmente!

1.”Euromonitor International Limited, Fresh Food 2024, retail value RSP incl sales tax, US$, fixed 2023 exchange rate, constant terms. © 2023 The Good Food Institute, Inc.

Leia também

Nova pesquisa do GFI Brasil aponta os principais comportamentos e perfis do consumidor de alternativas plant-based no Brasil 

Nova pesquisa do GFI Brasil aponta os principais comportamentos e perfis do consumidor de alternativas plant-based no Brasil 

Amplie seu conhecimento sobre proteínas alternativas com as novas aulas do curso do GFI Brasil

Amplie seu conhecimento sobre proteínas alternativas com as novas aulas do curso do GFI Brasil

GFI Brasil abre chamada para Estudos Direcionados sobre proteínas alternativas

GFI Brasil abre chamada para Estudos Direcionados sobre proteínas alternativas